Fundamentos básicos do Facebook Ads e Instagram Ads

Atualizado: Jun 5

Provavelmente você já deve ter escutado de algum empreendedor que “investir em Facebook Ads é bobagem”, certo? Isso porque os anúncios que eles desenvolveram não alcançaram os resultados desejados. Mas sabe o que difere esse empreendedor, em específico, dos mais de 1 milhão de empresas que investem diariamente nessa plataforma e faturam uma grana alta com anúncios? O conhecimento sobre os fundamentos básicos do

Facebook Ads e Instagram Ads.

Isso porque se você desenvolve um anúncio do zero sem ter noção completa de quem é o seu público, quais as suas metas e o passo a passo de como alcançar isso, as chances de dar errado é muito grande.

Logo, é importante conhecer os fundamentos básicos do Facebook Ads e Instagram Ads para entender através de testes A/B quem é seu público alvo, quanto se deve investir e como criar uma publicidade paga mais assertiva para alcançar a meta desejada. Portanto, esse texto será essencial para sua bagagem de conhecimentos para desenvolver anúncios lucrativos.

Não cometa esse erro no Facebook Ads e Instagram Ads

A maior dificuldade dos empreendedores é entender a diferença de “Impulsionar”, “Patrocinar” e “Anunciar”. Logo, cometem erros simples ao “Impulsionar” mesmo quando desejam algo a mais do que apenas métricas de vaidade.

Impulsionar

Se você reparar, na maioria das postagens com bom desempenho, aparece a sugestão de impulsionar. E exatamente por isso, por estar bem debaixo dos olhos dos empreendedores, que eles costumam utilizar com maior frequência.

Porém, é importante lembrar que o impulsionar direciona apenas para as pessoas que seguem na tentativa de gerar curtidas, comentários e compartilhamentos. Ou seja, métricas de vaidade. Se esse é o seu desejo com determinada publicação, é a opção mais viável.

Patrocinar

Diferente do primeiro, a opção de patrocinar busca conversões e não somente métricas de vaidade. Aparecerá bem no início do Feed de Notícias, com o escrito “Patrocinado”, somente para as pessoas que te seguem, mas que talvez não recebam os seus conteúdos diariamente ou que não interajam com a sua página com tanta frequência.

Anúncio

É o que realmente você está acostumado a receber ao pesquisar por determinados produtos no Google ou dentro do próprio Facebook e Instagram; Uma imagem de um produto que está a venda que ao clicar a pessoa será direcionada para uma nova guia, um e-commerce, site ou outra plataforma de venda. E é exatamente sobre anúncios que você aprenderá neste texto.

Fundamentos básicos do Facebook Ads e Instagram Ads

O primeiro ponto de um anúncio é o uso da criatividade e técnicas para torná-lo de alta conversão. Mas para isso, temos um texto bastante eficiente sobre “Gatilhos mentais, CTA’s e Copy”.

Assim, este é o momento de entender, de vez, quais os fundamentos básicos do Facebook Ads e Instagram Ads e como criar anúncios através deles.

Com a ideia do anúncio já desenvolvida, é hora de abrir o gerenciador de anúncios do Facebook e dar início a segmentação de públicos. Lá você define para quais pessoas deverão aparecer o seu anúncio.

Suponhamos que você tenha um e-commerce de roupas infantis, logo se deduz que o público poderá ser, em sua maioria, mulher, acima de 24 anos e que já tenham vivenciado a maternidade. Mas para ter certeza disso somente através de testes A/B. Portanto, é importante que você conheça ss recursos de segmentação de público do Facebook Ads e Instagram Ads, que são:

Audiência principal

Esse é o modelo onde você identifica o seu público através da localização, estilo de vida, comportamentos sociais e etc. Tudo isso é levado em consideração pelas ações realizadas por cada perfil dentro da plataforma.

No caso anterior, por exemplo, onde há um e-commerce sobre roupas infantis, o anúncio aparecerá para as mulheres ou homens que coloquem em suas redes sociais que se tornaram mães ou pais, compartilhem postagens sobre maternidade e assim por diante.

Audiências personalizadas

Pode ser o modelo mais assertivo para alguns e uma maldição nas mãos de outros. Até porque ou você tem as informações bem específicas com base em dados de compras anteriores ou você estará apenas testando.

Assim, não dá para inserir a idade, localização, gênero e demais informações e deixar lá para sempre. Você precisa estar sempre adaptando com base nos dados das novas conversões e mudanças do seu público.

Audiências similares

Vamos supor que você já tenha uma lista de automação com 1.500 contatos e, assim, queira anunciar para um público semelhante a este. Dessa forma, o gerenciador levará em consideração as principais informações desses contatos e fazer com que seu anúncio apareça para eles.

Outro detalhe importante a ser levado em consideração é o modelo de cobrança dos anúncios. Existem mais de um modelo e você precisa analisar qual é o melhor para o seu negócio com base nos seus objetivos. Veja aqui quais são eles:

CPA

O Custo por Aquisição, um modelo de cobrança de anúncios, é basicamente a média de preço paga por cada ação que o usuário realiza nos seus anúncios. Por exemplo, a sua estratégia é divulgar um vídeo de lançamento do seu e-commerce, se a pessoa assistir ao vídeo ela estará cumprindo a ação desejada e, logo, você pagará um valor por isso.

CPC

O foco do Custo por Clique, um modelo de cobrança de anúncios, é a palavra-chave que você compra. Por exemplo, você compra o termo “roupas infantis”, o anúncio aparecerá quando alguém pesquisar por ele e será cobrado quando essa mesma pessoa clicar para ir até o seu e-commerce.

Portanto, agora que você já sabe o passo a passo a ser percorrido dentro do gerenciador de anúncios e os fundamentos básicos do Facebook Ads e Instagram Ads, você já está praticamente pronto para começar a iniciar suas campanhas de testes A/B.

Caso deseja prosseguir com uma nova leitura e aumentar a sua bagagem de conhecimentos, aqui tem textos que poderá te atrair bastante:

Como criar uma Loja Virtual do 0?

Estratégia Para Atrair Seguidores E Clientes No Instagram

Espero que tenha gostado dessas dicas e estarei torcendo para que sua empresa aumente o faturamento através do mercado online.



Sobre o autor:

Artigo produzido em parceria com a E-commerce Rocket